REVISTA ELETRÔNICA de EDUCAÇÃO & SAÚDE.

REVISTA ELETRÔNICA de EDUCAÇÃO & SAÚDE (ano XXXIV) 2017 ou 5778
Criação e realização do biólogo e professor JOÃO ANGELO MARTIGNONI TEIXEIRA
Orientação e configuração do engenheiro e professor EVERARD LUCAS CARDOSO

30 de out de 2017

CONTATOS com a Revista Eletrônica: "EXCITE-FRIBURGO" de EDUCAÇÃO & SAÚDE.

Idealizador: Prof. Dr. João Angelo Martignoni Teixeira
Correio eletrônico: biangelus@gmail.com

ou escreva-os nos comentários abaixo:

31 de Outubro ... Dia das BRUXAS ...


O Halloween é uma festa comemorativa celebrada no dia 31 de Outubro, véspera do dia de Todos os Santos. Ela é realizada em grande parte dos países ocidentais, porém é mais representativa nos EUA, onde foi inserida pelos imigrantes irlandeses, quando lá chegaram em meados do século XIX.
A história desta data comemorativa tem mais de 2500 anos. Surgiu entre o povo celta, que acreditavam que no último dia do verão deles (31 de Outubro), os espíritos saiam dos cemitérios para tomar posse dos corpos dos vivos. Para assustar estes fantasmas, os celtas colocavam, nas casas, objetos assustadores como, por exemplo, caveiras, ossos decorados, abóboras enfeitadas entre outros.
Por ser uma festa pagã foi condenada na Europa durante a Idade Média, quando passou a ser chamada de Dia das Bruxas. Aqueles que comemoravam esta data eram perseguidos e condenados à fogueira pela Inquisição.
Com o objetivo de diminuir as influências pagãs na Europa Medieval, a Igreja cristianizou a festa, criando o Dia de Finados (2 de Novembro).

Esta festa, por estar relacionada em sua origem à morte, resgata elementos e figuras assustadoras. São símbolos comuns desta festa: fantasmas, bruxas, zumbis, caveiras, monstros, gatos negros e até personagens como Drácula e Frankestein.
As crianças também participam desta festa. Com a ajuda dos pais, usam fantasias assustadoras e partem de porta em porta na vizinhança, onde soltam a frase “doçura ou travessura”. Felizes, terminam a noite do 31 de Outubro, com sacos cheios de guloseimas, balas, chocolates e doces.



O Halloween no Brasil é uma comemoração recente, chegou por aqui através da grande influência da cultura dos EUA, principalmente vinda pela televisão. Os cursos de língua inglesa também colaboram para a propagação da festa aqui no Brasil, pois comemoram esta data com seus alunos, vivenciando a "cultura norte-americana".

Vários brasileiros defendem que a data nada tem a ver com nossa cultura e argumentam que o Brasil tem um rico folclore que deveria ser mais valorizado, por isto, foi criado pelo governo, em 2005, o Dia do Saci (comemorado também em 31 de Outubro).




O Saci-Pererê é um dos personagens mais conhecidos do folclore brasileiro, também comemorado em 31 de Outubro. Provavelmente, surgiu entre povos indígenas da região Sul do Brasil, ainda durante o período colonial (no final do século XVIII). Nesta época, era representado por um menino indígena de cor morena e com um rabo, que vivia aprontando travessuras na floresta.
Porém, ao migrar para o norte do país, o mito e o personagem sofreram modificações ao receberem influências da cultura africana. O Saci transformou-se num jovem negro com apenas uma perna, pois, de acordo com o mito, havia perdido a outra numa luta de capoeira. Passou a ser representado usando um gorro vermelho e um cachimbo, típico da cultura africana. Até os dias atuais ele é representado desta forma.

O comportamento é a marca registrada deste personagem folclórico. Muito divertido e brincalhão, o saci passa todo tempo aprontando travessuras na matas e nas casas. Assusta viajantes, esconde objetos domésticos, emite ruídos, assusta cavalos e bois no pasto etc. Apesar das brincadeiras, não pratica atitudes com o objetivo de prejudicar alguém ou fazer o mal.

Diz o mito que ele se desloca dentro de redemoinhos de vento, e para capturá-lo é necessário jogar uma peneira sobre ele. Após o feito, deve-se tirar o gorro e prender o saci dentro de uma garrafa. Somente desta forma ele irá obedecer seu “proprietário”.

Mas, de acordo com o mito, o saci não é voltado apenas para brincadeiras. Ele é um importante conhecedor das ervas da floresta, da fabricação de chás e medicamentos feitos com plantas. Ele controla e guarda os segredos e todos estes conhecimentos. Aqueles que penetram nas florestas em busca destas ervas, devem, de acordo com a mitologia, pedir sua autorização. Caso contrário, se transformará em mais uma vítima de suas travessuras.

A crença neste personagem ainda é muito forte na região interior do Brasil. Em volta das fogueiras, os mais velhos contam suas experiências com o saci aos mais novos. Através da cultura oral, o mito vai se perpetuando. Porém, o personagem chegou aos grandes centros urbanos através da literatura, da televisão e das histórias em quadrinhos.

Quem primeiro retratou o personagem, de forma brilhante na literatura infantil, foi o escritor Monteiro Lobato. Nas histórias do Sítio do Pica-Pau Amarelo, o saci aparece constantemente. Ele vive aprontando com os personagens do sítio. A lenda se espalhou por todo o Brasil quando as histórias de Monteiro Lobato ganharam as telas da televisão, transformando-se em seriado, transmitido no começo da década de 1950. O saci também aparece em várias momentos das histórias em quadrinhos do personagem Chico Bento, de Maurício de Souza.

Curiosidade:

- O Saci-Pererê é o mascote do time de futebol Sport Club Internacional de Porto Alegre.

15 de OUTUBRO = PARABÉNS MESTRES !!!

       








"O professor é o indivíduo vocacionado a tirar outro indivíduo das trevas da ignorância, da escuridão, para as luzes do conhecimento, dignificando-o como pessoa que pensa e existe”. 
Juiz Eliezer Siqueira de Sousa Junior.


Eu tive a honra e o prazer de ter sido aluno e, posteriormente, colega de Cícero Schott Monnerat, com o qual continuei aprendendo quando, juntos (ele diretor e eu coordenador do CNSG por mais de 16 anos), trabalhamos muito pela educação. Creio ter sido "a época de ouro de minha vida pelo magistério".
Quando fui aluno da Cia. Jesuíta, o meu coração e a minha mente ficaram marcadas pelas virtudes de: Cícero Schott Monnerat (foto a direita), Ledir Porto (2ª foto abaixo), Helênio Lima, Cláudio Costa, Vicente Paim, Pedro Sérgio Maggessi Monnerat; personalidades inesquecíveis da verdadeira educação !!!


Prof. João Angelo.









Dia 14/10/2009 - 4ª-feira - as alunas do Col. Odette Penna Muniz (foto abaixo): Monara, Milena, Carol, Fernanda, Patrícia, Camilla, Rayany, Katelyn, Luiza e Paula, representando suas respectivas turmas, prestaram uma LINDA e EMOCIONANTE homenagem aos Professores do 3° turno, com uma apresentação teatral de reflexão sobre o valor da profissão de educador. Parabéns meninas!!! Todos os meus colegas do OPM e logicamente eu, saímos de lá felizes e emocionados com suas homenagens !!!
Obrigado, Prof. João Angelo.

13 de out de 2017

SEXTA-FEIRA 13 de OUTUBRO de 2017.

        “A sexta-feira 13 e o judaísmo”
(por Jane Bichmacher de Glasman, escritora, professora e ex-diretora do Programa de Estudos Judaicos da UERJ)
“Ninguém sabe direito como a superstição surgiu. Alguns dizem que é porque Jesus foi crucificado em uma sexta-feira 13. Quanto à possível conotação aziaga do número 13 na tradição judaica, ela, na verdade, não existe. Pelo contrário: 13 é um número extremamente positivo.
No judaísmo, 13 é a idade na qual o jovem se torna bar-mitzvá, 13 são também os princípios de Fé Judaica elaborados por Maimônides. O número 13 era visto na tradição judaica como a adição divina para ao terreno 12, que está ligado aos 12 meses do ano, às 12 tribos de Israel e aos 12 signos do zodíaco, os quais representam a fragmentação do mundo físico, onde a Luz do Criador está oculta. O 13 se eleva acima dessas forças materiais, e nos leva à unidade do mundo espiritual. Morrer em uma noite de sexta-feira, depois de ter recebido o Shabat, era visto como particularmente honrosa para os mártires judeus. Então, tendo a sexta-feira 13 se tornado mais um dia para mártires judeus, os numerosos opressores começaram a interpretar o dia em suas formas negativas. No judaísmo o número 13 não indica o fim, mas sim a transformação, o renascimento”.
Fonte: Jornal ALEF/ edição 1482 de Agosto de 2010  – comunidade judaica [ jornalalefvirtual@jornalalef.com.br ]
Abaixo a reportagem na íntegra:
A sexta-feira 13 e o judaísmo
Jane Bichmacher de Glasman, escritora, doutora em Língua Hebraica,
Literaturas e Cultura Judaica; professora adjunta, fundadora e
ex-diretora do Programa de Estudos Judaicos da UERJ.
De acordo com o calendário judaico, “Yom Shishi”, a sexta-feira (qualquer uma) começa na véspera – na quinta-feira, “Yom Hamishi”. Já na sexta-feira ao anoitecer é sábado – “Erev” (véspera) Shabat! O homem (ser humano) foi criado, de acordo com o relato bíblico, na sexta-feira. E, neste dia, diferentemente dos outros em que D’us concluía com um “Está bom!”, Ele disse: ”Muito bom!”. Para quem gosta de uma leitura supersticiosa, este comentário divino torna a sexta “um dia de sorte” (junto com a terça-feira em que foi dito “Bom!” duas vezes – motivo pelo qual se costuma começar nas terças, por exemplo, calendário de aulas em escolas judaicas etc).
Tendo o homem sido criado na sexta-feira – ela se tornou também a data do primeiro Rosh Hahaná da humanidade (embora primeiro de Tishrei, que é o primeiro dia de Rosh Hashaná, jamais possa cair num domingo, quarta ou sexta-feira)! Quanto à possível conotação aziaga do número 13 na tradição judaica, ela, na verdade, não existe. Pelo contrário: 13 é um número extremamente positivo. No judaísmo, 13 é a idade na qual o jovem se torna bar-mitzvá, entrando assim na maioridade religiosa. Treze são também os princípios de “Fé Judaica” elaborados por Maimônides no seu “Comentário sobre a Mishná” e transformados em “Pyiut” (poema litúrgico), no hino “Yigdal”, em 1404.
Na língua hebraica os numerais são escritos com as letras do alfabeto (alefbet), às quais é atribuído um valor numérico. Assim, o número 13 escreve-se com as letras “? Yud” (10) e “? Guimel” (3). Para desvendar as leituras semióticas da numerologia hebraica (gemátria), é necessário analisar o simbolismo dado a cada letra. “Yud” (?) é a primeira letra da palavra yetzer (impulso), denotando a tendência humana tanto para o bem, o altruísmo (“Yetzer hatov”, aspecto positivo, o bom impulso) como para o mal, o egoísmo (“Yetzer hará”, aspecto negativo, o mau impulso). Cabalistas aconselham a meditação na letra “Yud” como forma de ultrapassar estagnação e inspirar mudança a nível espiritual. O “Yud” é também a primeira letra do tetragrama sagrado. O “Guimel” (?), por outro lado, reflete qualidades de bondade e crescimento. A expressão “guemilut hassadim” (boas-obras, atos de bondade) traduz a essência de “Guimel”, primeira letra também das palavras “Gadol” (grande), “Guibor” (poderoso, forte, herói) e “Guevurá” (coragem).
O número 13 era visto na tradição judaica como a adição divina para ao terreno 12, que está ligado aos 12 meses do ano, às 12 tribos de Israel e aos 12 signos do zodíaco, os quais representam a fragmentação do mundo físico, onde a Luz do Criador está oculta. O 13 se eleva acima dessas forças materiais, e nos leva à unidade do mundo espiritual. Segundo a Cabalá, 13 é a gemátria (valor numérico) da palavra “Echad”, que significa o número 1, a unidade, e, também, uma alusão a Deus. As palavras “Ahavá” (amor) e “Deagá” (preocupação) igualmente têm seu valor numérico 13. Assim como é 13 o valor das palavras “Ahavá” (amor) e “Echad” (unidade), denotando uma ligação intrínseca entre elas. Morrer em uma noite de sexta-feira, depois de ter recebido o Shabat, era visto como particularmente honrosa para os mártires judeus. Então, tendo a sexta-feira 13 se tornado mais um dia para mártires judeus, os numerosos opressores começaram a interpretar o dia em suas formas negativas. No judaísmo o número 13 não indica o fim, mas sim a transformação, o renascimento. A superstição que ronda o número 13 é, sem dúvida, uma das mais populares. Pode ter tido origem no dia 13 de outubro de 1307, sexta-feira, quando a Ordem dos Templários foi declarada ilegal pelo rei Filipe IV de França; os seus membros foram presos simultaneamente em todo o país e alguns torturados e, mais tarde, executados por heresia. Na Antiguidade, o número 13 tornou-se de mau agouro, depois que o Imperador Felipe da Macedônia acrescentou sua estátua às dos doze deuses do Olimpo. Logo em seguida, ele foi brutalmente assassinado. Eva ofereceu a maçã a Adão na sexta-feira, e o dilúvio começou no mesmo dia.
Triscaidecafobia é um medo irracional e incomum do número 13. O medo específico da sexta-feira 13 (fobia) é chamado de parascavedecatriafobia ou frigatriscaidecafobia. Ninguém sabe direito como a superstição surgiu. Alguns dizem que é porque Jesus foi crucificado em uma sexta-feira 13. Além da versão histórica de perseguição aos templários, também existiam lendas nórdicas e cristãs sobre o sombrio treze. Sua origem é pagã, e não cristã como muitos pensam, e remonta a duas lendas da mitologia nórdica. De acordo com a primeira, houve no Valhalla, a morada dos deuses, um banquete para o qual doze divindades foram convidadas. Loki, espírito do mal e da discórdia, apareceu sem ser chamado e armou uma briga que terminou com a morte de Balder, o favorito dos deuses. Daí surgiu a idéia de que reunir 13 pessoas para um jantar era desgraça. A associação com a sexta-feira vem da Escandinávia e refere-se a Friga, a deusa da fertilidade e do amor (que deu origem a frigadag e Friday = sexta-feira). Quando as tribos nórdicas e alemãs se converteram ao cristianismo, Friga foi transformada em bruxa. Como vingança, ela passou a se reunir todas as sextas com outras 11 bruxas e o demônio, num total de 13 entes, para rogar praga sobre os humanos. Da Escandinava a superstição espalhou-se pela Europa. Isso serviu para incitar a raiva das pessoas contra Frigg, embora nem sequer existissem figuras malignas como o Diabo nessas culturas. Como a sexta-feira era um dia sagrado à deusa, e ao feminino, o advento ao patriarcado fez com que esse dia fosse o escolhido para ser dia amaldiçoado, como tudo o que dizia respeito às mulheres.
A Última Ceia, portanto, é uma posterior releitura dos mitos originais, onde havia 13 à mesa, às vésperas da crucificação de Jesus, que teria ocorrido numa sexta-feira. O 13° convidado teria sido o traidor causador da morte de Jesus, como Loki foi o causador da morte do filho de Odin. Especula-se, inclusive, que Jesus, sendo um iniciado, possa ter estipulado o número de pessoas à mesa em 13 precisamente por causa da magia do número.
Nas cartas do tarô, o Arcano 13 (Ceifador), é a carta da morte, por associação com as letras hebraicas. Estudantes da prática interpretam a carta como um sinal de mudanças do ponto de vista, de formas de viver, e profundas transformações internas e externas. Mesmo quando se refere à morte física, na concepção religiosa, esta não representa um fim em si; afinal os antigos viam a morte como uma passagem para outro mundo ou plano de existência, em geral com uma conotação evolutiva.


Para a Maçonaria = lembrando que foi no dia 13 de Outubro de 1307, exatamente em uma sexta-feria, que o rei Felipe IV, o belo, da França desencadeou a perseguição e prisão dos Cavaleiros Templários no território Francês.
Um dia especial para os maçons templários e das ordens de cavalaria, cujos graus são dedicados a essa causa.

OPM ...ex-alunos:

Meus queridos ex-alunos do OPM, por Léo Abelha.

9 de out de 2017

FELIZ DIA DA CRIANÇA.



O Dia Nacional da Criança foi criado em 1924 pelo deputado federal Dr. Galdino do Valle Filho (foto ao lado).
residencia_galdino_net




































Durante toda a minha infância, eu morei ao lado desta casa de Galdino do Valle Filho (foto acima de Osmar Castro) no número 47 da atual Avenida que tem o seu nome hoje - em Nova Friburgo - onde ele (Dr. Galdino) foi vereador, deputado estadual, deputado federal em 1924 e prefeito de Nova Friburgo, quando em seu mandato, a energia elétrica chegou por aqui e o saneamento básico começou a evoluir em nossa cidade. Eu tinha um pouco mais de 1 ano de idade quando ele faleceu (em Niterói), mas mesmo assim, durante minha infância, por várias vezes eu brincava no vasto pomar e quintal de sua casa que fazia divisa com a minha casa e de minha avó (Leonor Martignoni). Eu tive uma infância muito feliz ali naquela região de Friburgo !!! [Prof. Dr. João Angelo]

Além de seu legado de realizações políticas, sua participação na vida friburguense é lembrada até os dias de hoje pelo imponente casarão que pertence à sua família, localizado, como já citei anteriormente, na avenida que lhe homenageia (com o seu nome). Recentemente, o casarão da família Galdino do Valle Filho foi tombado (foi o 1º imóvel que entrou em processo de tombamento, em decorrência da Lei Municipal 3.794/2009, de autoria do Executivo com o aval da Câmara dos Vereadores, prevendo a preservação de prédios históricos de Nova Friburgo). A memória e a cultura de Nova Friburgo agradecem!
A foto abaixo (de Osmar Castro) mostra o interior da residência da família Galdino do Valle Filho, em estilo eclético com tendências vitorianas:
Sala Galdino do valle filho
Outras fotos de Lau Cardoso (irmão do meu amigo Everard Lucas):




27 de set de 2017

ACTA e PASSIO (COSME e DAMIÃO) e o dia mundial da doação de órgãos.

26 e 27 de Setembro: Cosme (Acta) e Damião (Passio)

O nome Cosme significa "enfeitado" (do radical grego Kosmetos) e Damião significa "popular" (do radical grego Demos).
Comemora-se nestas datas a festa de dois santos especiais para a Igreja Católica e por religiões afro-brasileiras, como o Candomblé, que enfeitam lugares com bandeiras e vários desenhos onde, para relembrá-los, se tem a tradição de distribuir doces para crianças e adolescentes.
Cosme e Damião foram exercer medicina na Síria, em Egeia (atualmente Ayas, no Golfo do Iskenderun, Cilícia, na Ásia Menor), sem receber qualquer pagamento, curavam em nome de Jesus Cristo, orando e realizando diversas curas e inúmeros milagres. 
Na Grécia Antiga existiam registros de cultos a estes santos, que percorreram séculos e são festejados por diversas religiões. Hoje são os padroeiros dos Farmacêuticos, das Faculdades de Medicina, barbeiros e cabeleireiros e protegem orfanatos, creches, doceiras, filhos em casa, além de doenças como hérnia e peste.
A história destes dois santos cujo os nomes eram Acta e Passio, começa no século III da era cristã, em Egeia, e é envolta em lendas e folclores. Estes gêmeos nasceram na Arábia, eram filhos de uma família que se converteu ao cristianismo quando os dois eram adolescentes. Cosme e Damião tinham mais três irmãos, Antimo, Leôncio e Euprepio.
Teoricamente, se tornaram médicos graças a um homem (Levi), que lhes transmitiu seus próprios conhecimentos e, através do ofício da medicina, os dois puderam cativar mais pessoas para o exercício da fé cristã. Curavam não só por seus tratamentos médicos, mas também através das orações que faziam. 
Devotos fervorosos e muito respeitados na comunidade, Cosme e Damião chamaram a atenção das autoridades locais. Neste período, o imperador romano Diocleciano havia autorizado a perseguição aos cristãos, uma vez que estes despertaram sua ira por serem fiéis a Jesus e não idolatrarem as esculturas consideradas sagradas pelo Império Romano.
Os irmãos, então, por ordem do prefeito Lísias, foram perseguidos, presos, sofreram diversos tipos de tortura, mas mantiveram sua fé: "Nós curamos as doenças em nome de Jesus Cristo, pela força do Seu poder”, afirmavam. 
Deu-se a condenação à morte. Quatro soldados os atingiram com setas, mas os irmãos resistiram, assim como sobreviveram a pedradas e flechadas. Os militares recorreram à decapitação por espada. Cosme e Damião morreram no dia 27 de Setembro como mártires e seus três irmãos (Antimo, Leôncio e Euprepio) também. Tiveram seus corpos transportados para Roma.
Cem anos depois, no entanto, iniciou-se uma verdadeira idolatria aos seus restos mortais. Foram esculpidas imagens em sua homenagem, as quais eram absolutamente reverenciadas. Até que, por volta do ano 520 d.C, dois séculos depois, em Roma, uma basílica foi construída a pedido do Papa Félix IV para honrar Cosme e Damião. A solenidade de consagração desta basílica foi no dia 26 de Setembro (daí a tradição dos católicos de festejar os dois santos nesta data).
Aqui no Brasil, o culto aos santos começou em 1535, quando foi erguida a primeira igreja católica do país, em Igarassu (PE), que recebeu o nome deles. Mais tarde, como os escravos não podiam professar a própria crença, era preciso que houvesse o sincretismo religioso da devoção trazida pelos portugueses com o culto aos orixás-meninos - os Erês - da tradição africana yorubá. Na umbanda e no candomblé, os santos gêmeos são tão populares quanto Santo Antônio e São João. As festas que homenageiam Cosme e Damião ocorrem no dia 27 de Setembro e nelas distribui-se doces e balas às crianças. Na década de 1970, o Vaticano mudou oficialmente para 26 de Setembro o dia de homenagear os santos, mas na tradição popular a data antiga foi mantida. E no dia 01 de Novembro pela igreja Ortodoxa.


Reeditado em 27/9/2014; 2015; 2016 e 2017 por João Angelo (baseado em diversas pesquisas, entre elas, algumas publicações do Jornal A Voz da Serra).

20 de set de 2017

CROMOSSOMOS HUMANOS - características e doenças hereditárias:

O que se sabe sobre os Cromossomos (e Genes) humanos até 2017 
[pesquisa do prof. dr. João Angelo]:
Em 11/11/2010 foi divulgado a descoberta do Gene Alfa 2 Beta 3 que controla a dor crônica, através da regulagem da absorção de Cálcio nas células. Este Gene foi descoberto na mosca das frutas (Drosophila melanogaster), posteriormente testada em ratos e verificada a presença do mesmo em Genes humanos.
O gene é um segmento das moléculas de DNA (Ácido Desoxirribonucleico) que, por meio de um código chamado de genético, nos define fisicamente. Os genes formam os cromossomos, que ficam no núcleo das células.

O DNA (Ácido Desoxirribonucleico) é constituído por 2 hélices (que lembram os corrimãos de uma escada helicoidal) e em cada uma delas, há uma sucessão de açúcar intercalada com ácido fosfórico ou ácido ortofosfórico [H3 PO4]. Os degraus da escada são segmentados por pares de bases nitrogenadas (Adenina ligada com Timina e Citosina com Guanina). Os genes são segmentos de DNA, nos quais a sequência das 4 bases nitrogenadas (A, C, G e T) compõe o código genético. Retorcida e compactada, a longa molécula de DNA constitui uma estrutura intranuclear, o cromossomo. Nossas células contêm 46 cromossomos, formando 23 pares. Os gametas (óvulos e espermatozoides) apresentam apenas 23 cromossomos.

CROMOSSOMO HUMANO I
(com 263 milhões de pares de base):
* GBA - Doença de Gaucher - deficiência enzimática;
* Esquizofrenia;
* Cardiomiopatia dilatada;
* GLCA1 - Glaucoma;
* Câncer na glândula tireoidea;
* HPC1 - Câncer de próstata hereditário;
* Degeneração macular;
* Linfoma;
* Arteriosclerose;
* Lúpus.
PSEN2 (AD4) - Doença de Alzheimer.


CROMOSSOMO HUMANO II
(é o maior de todos os cromossomas)
(com 255 milhões de pares de base):
* MSH2 e MSH6 - Câncer de reto e de cólon, familiar - 1/200 de pessoas tem o gene e destas 65% virão a ter a doença;
* Câncer de ovário;
* Melanoma;
* Hipotireoidismo congênito;
* Surdez;
* Puberdade masculina precoce;
* Hermafroditismo masculino.
* DYX3 - Dislexia (ainda está sendo estudado = a dislexia é um problema que se detecta em crianças que sofrem dificuldades de leitura).


CROMOSSOMO HUMANO III
(com 214 milhões de pares de base):
* Alcaptonúria (escurecimento das cartilagens e propensão à artrite);
* Câncer de pâncreas;
* SLC1 - Câncer de pulmão;
* Hipertensão;
* Obesidade severa;
* CCR5 - Delta 32 - mutação neste gene torna mais difícil a infecção por HIV (vírus da AIDS).


CROMOSSOMO HUMANO IV
(com 203 milhões de pares de base):
* Leucemia mieloide aguda;
* Mal de Parkinson;
* Melanoma de crescimento rápido;
* Periodontite juvenil;
* Suscetibilidade ao Alcoolismo;


CROMOSSOMO HUMANO V
(com 194 milhões de pares de base):
* Anemia;
* Câncer de cólon e reto;
* Câncer de ovário;
* Câncer de pele;
* Câncer de útero;
* Difteria;
* IL4 - Asma (DTD - Displasia diastrófica).
* 17F – 13F – Doença de Ménière crônica, PANS, flutuante, fqs graves, ataques de vertigens recorrentes, plenitude aural e zumbido (homenagem a Prosper Ménière -1861).


CROMOSSOMO HUMANO VI
(com 183 milhões de pares de base):
* Anemia;
* Anormalidades dentárias;
* Asma;
IDDM1 - Diabetes;
* EPM2A - Epilepsia.
* Hemocromatose (absorção anormal alta de Ferro da dieta);
* Suscetibilidade em contrair Malária;


CROMOSSOMO HUMANO VII
(com 171 milhões de pares de base):
* Fabricação exagerada de insulina;
* Suscetibilidade a Osteoporose;
GCK - Diabetes;
* CFTR - Fibrose cística;
* OB - Obesidade;
* TAS2R38 - Sabor Amargo (variação neste gene é responsável por 55% a 85% da tolerância a sabores amargos). 


CROMOSSOMO HUMANO VIII
(com 155 milhões de pares de base):
* Anemia;
* Câncer de cólon e reto;
* Câncer de fígado;
* Câncer de próstata;
* Tumores ósseos (exostose múltipla);


CROMOSSOMO HUMANO IX
(com 145 milhões de pares de base):
* Albinismo;
* Câncer de ovário;
* CDKN2 - Câncer de pele = Melanoma maligno;
* ABL - Leucemia Mieloide Crônica;
* Surdez;


CROMOSSOMO HUMANO X
(com 144 milhões de pares de base):
* Anemia;
* Câncer de próstata;
* Câncer de endométrio;
* Rim policístico;
* Suscetibilidade à obesidade;
* CAPN10 - Diabetes tipo 2.


CROMOSSOMO HUMANO XI
(com 144 milhões de pares de base):
* Anemia Falciforme ou Siclemia;
* Asma;
* Câncer de próstata;
* Catarata congênita;
* IDDM2 - Diabetes Mellitus;
* ACTN3 - bom rendimento nos esportes. Uma simples mudança em uma de suas letras (A; T; C ou G) relaciona-se ao atleta tender mais à corrida curta ou maratona.
esquema do gene do albinismo humano.



CROMOSSOMO HUMANO XII
(com 143 milhões de pares de base):
* Anemia;
* Asma;
* Câncer de cólon e reto;
* Câncer de pele = Melanoma;
* Catarata;
* Diabetes Insipidus;
* Fenilcetonúria;
* Leucemia Linfoide;
* Leucemia Mieloide;
8F – Doença de Ménière crônica, PANS, flutuante, fqs graves, ataques de vertigens recorrentes, plenitude aural e zumbido (homenagem a Prosper Ménière -1861).


CROMOSSOMO HUMANO XIII
(com 114 milhões de pares de base):
* Aumento da taxa de Colesterol;
* BRCA2 - Câncer de mama; exemplo (Maio/2013) da atriz Angelina Jolie.
* Câncer de pâncreas;
* Câncer de pulmão;
* Leucemia;
CX26 - Surdez Neurossensorial Recessiva Autossômica;


CROMOSSOMO HUMANO XIV
(é o cromossoma que contém mais genes)
(com 109 milhões de pares de base):
* Anemia;
* Asma;
* Diabetes Mellitus;
* Leucemia;
* PSEN1 (AD3) - Mal de Alzheimer;
* Surdez;


CROMOSSOMO HUMANO XV
(com 106 milhões de pares de base):
* Coloração Castanha dos olhos;
* HERC2 e OCA2 - coloração Azul dos olhos;
* Coloração Castanha dos cabelos;
* Albinismo;
* FBN1 - Síndrome de Marfan;


CROMOSSOMO HUMANO XVI
(com 98 milhões de pares de base):

* Cálculos renais;
PKD1 - Doença do Rim Policístico - Doença de Crohn;
* ABCC11 - Cera no ouvido (cera seca nos asiáticos; cera molhada nos europeus).










CROMOSSOMO HUMANO XVII
(com 92 milhões de pares de base):
* BRCA1 - Câncer de mama (5% a 10% dos casos conhecidos); exemplo recente (Maio/2013) da atriz Angelina Jolie;
* Diabetes Mellitus;
* Hipertensão;
* Leucemia;
* Surdez;
* Mal de Alzheimer;


CROMOSSOMO HUMANO XVIII
(com 85 milhões de pares de base):
* Integração do Vírus da Hepatite B;
DPC4 (Smad4) - Câncer Pancreático;
* Leucemia;
* Mal de Parkinson;
* Obesidade;


CROMOSSOMO HUMANO XIX
(com 67 milhões de pares de base):
* Coloração de Verde a Azul dos olhos;
* Surdez;
* IL28B - relacionado à Hepatite C;
* APOE - doença de Alzheimer;
* Taxas altíssimas de colesterol já na infância;


CROMOSSOMO HUMANO XX
(com 72 milhões de pares de base):
* Anemia;
* Obesidade;
* Trombose;
* GDF5 - relacionado a Altura (de 0,3 a 0,7 cm > que a média europeia).


CROMOSSOMO HUMANO XXI
(com 50 milhões de pares de base):
* Leucemia;
* APP - Mal de Alzheimer;
* Síndrome de Down (provocada por uma cópia a mais do cromossomo 21 [trissomia]; é a principal causa do retardo mental e está associada a malformações congênitas). 45, XX (mulher) e 45, XY (homem).


CROMOSSOMO HUMANO XXII
(com 56 milhões de pares de base):
* Cálculos renais;
* BCR - Leucemia Mieloide Crônica;
* GNB - Transtorno Bipolar e Esquizofrenia;
* Surdez;
* Tumores nos nervos auditivos;


CROMOSSOMO HUMANO XXIII - codificação X
(com 164 milhões de pares de base):

* Adrenoleucodistrofia (doença degenerativa neurológica - veja o filme: "O Óleo de Lorenzo");
* Anemia;
* Pequena estatura;
* Retardamento mental;
* Surdez;
* Melanoma;
* Imunodeficiência;
* Hemofilia (falta de proteína que causa problemas na coagulação);
* Atrofia ótica;
* Cegueira noturna;
* Daltonismo;
* Doenças de pele;
* Cardiomiopatia;
* Síndrome de Klinefelter; 44, XXY (homem);
* Síndrome de Turner; 44, X0 (mulher);
                                   * Trissomia X;



CROMOSSOMO HUMANO XXIII - codificação Y
(é o menor de todos os cromossomas e o que contém também o menor número de genes)
(com 59 milhões de pares de base):
* Hermafroditismo;
* Má formação dos testículos;
* Redução de espermatozoides.
* Linfoma não-Hodgkin (Câncer nos gânglios linfáticos, se manifesta pelo inchaço dos gânglios em diversas partes do corpo. Os gânglios linfáticos participam do sistema imunitário [de defesa do corpo]).

Sugestão veja: http://www.cienciahoje.pt/817

2 de set de 2017

Famílias italianas registradas em Nova Friburgo até 2017

Famílias italianas registradas em Nova Friburgo até Setembro de 2017

[pesquisa realizada por João Angelo Martignoni Teixeira]:


COGNOME
Variação do sobrenome e/ou modificado para
Registro aproximado desde:
1.       
Acri
2.       
Agrello
1914
3.       
Amendola
1914
4.       
Apostolico
1900
5.       
Argento
1914
6.       
Arturo
1900
7.       
Bacchin
Bachini
1900
8.       
Balbi
9.       
Barcellos
10.    
Barone
1900
11.    
Baszoli
Basoli
1900
12.    
Battista
13.    
Bazzetti
1900
14.    
Bellizzi
15.    
Bellotti
1900
16.    
Bertoni
1900
17.    
Bini
1900
18.    
Bizzotto
1900
19.    
Bologna
20.    
Bonin
21.    
Bottini
Bottino
1914
22.    
Brilhante
1914
23.    
Brognollo
Brugnolo
24.    
Burgani
25.    
Busi
26.    
Caelistro
Calestro
1900
27.    
Campara
1900
28.    
Canella
1900
29.    
Cantelmo
1900
30.    
Cappelli
Capelli/Copelli
1900
31.    
Capris
32.    
Caputo
1900
33.    
Carestiato
1900
34.    
Carnevale
35.    
Carpi
1900
36.    
Carriello
Cariello
1900
37.    
Caruso
38.    
Cassano
1914
39.    
Castronuovo
1914
40.    
Catarcione
1900
41.    
Cavaliere
1900
42.    
Cellano
1914
43.    
Chiachio
44.    
Colicinio
1900
45.    
Colurciello
1900
46.    
Conti
1914
47.    
Corso
1900
48.    
Crescenzi
Crescenci
1900
49.    
De Bartolo
1900
50.    
De Bortoli
1900
51.    
De Luca
1900
52.    
Della Valle
1900
53.    
Demani
54.    
Di Donato
1972
55.    
Di Onofre
56.    
Di Paola
1914
57.    
Di Piero
58.    
Dottino
1914
59.    
Espósito
1900
60.    
Falchetto
1900
61.    
Fanetta
62.    
Fiasca
1914
63.    
Gaetano
64.    
Gambini
1900
65.    
Gattista
66.    
Giffoni
1894
67.    
Gismonti
68.    
Gith
69.    
Giust
70.    
Grandi
71.    
Gravina
Gravino
1900
72.    
Graziano
73.    
Guadagnini
Guadanini
1900
74.    
Guariglia
75.    
Guarino
1900
76.    
Guerra
77.    
Imbroinise
1914
78.    
Iorio
79.    
Januzzi
1900
80.    
La Rocca
1914
81.    
Laginestra
1914
82.    
Latini
1900
83.    
Laurini
84.    
Levorato
1900
85.    
Libonati
Libonato
1900
86.    
Liguori
1914
87.    
Livio
1900
88.    
Lo Bianco
1914
89.    
Lo Manto
1914
90.    
Longo
91.    
Loparo
1927
92.    
Lovisi
1900
93.    
Macri
1900
94.    
Maduri
Amador
1901
95.    
Magliano
1900
96.    
Maione
97.    
Malfitano
98.    
Manes
1914
99.    
Mangia
1900
100.
Marcucci
101.
Marote
102.
Martignoni
02/8/1870
103.
Masciave
104.
Massa
1900
105.
Mastrangelo
1900
106.
Mattedi
107.
Mauro
1914
108.
Meceni
1900
109.
Merecci
1900
110.
Michetti
1914
111.
Mielli
Miele
1900
112.
Milano
113.
Miranda
1900
114.
Mogliari
Moliari
1900
115.
Montechiari
116.
Motroni
1914
117.
Nicolao
1900
118.
Nicoliello
119.
Nigro
1900
120.
Onofre
1900
121.
Orlando
1914
122.
Orofino
123.
Pacentini
124.
Pacifico
1900
125.
Palermo
1900
126.
Pallotti
1900
127.
Palotto
128.
Parca
129.
Parisi
1900
130.
Patuelli
131.
Pecci
1914
132.
Penna
133.
Perna
1900
134.
Pietrobon
1900
135.
Pillotto
1900
136.
Pirazzo
1900
137.
Pizziali
Piziali
1900
138.
Pollo
1900
139.
Povoleri
1914
140.
Raffaele
1900
141.
Raminelli
142.
Ranucci
1900
143.
Risso
1900
144.
Romano
Romana
1900
145.
Rossano
146.
Rossi
1900
147.
Rotai
Rotari
1900
148.
Rufino
149.
Sabadini
1900
150.
Salomone
1900
151.
Santo
1900
152.
Selvaggi
153.
Semaforico
1900
154.
Senna
1914
155.
Sidoni
1914
156.
Sorrentino
1900
157.
Spalazzani
158.
Spindola
159.
Spinelli
1870
160.
Striotto
Strioto
1914
161.
Temperini
162.
Tesone
1900
163.
Tessarollo
1900
164.
Titonelli
Titoneli
165.
Topini
166.
Tosto
1914
167.
Unia
1914
168.
Vanzillotta
1948
169.
Vassallo
1900
170.
Venerabille
1914
171.
Ventulli
1900
172.
Veronesi
Veronese
1900
173.
Vertulli
174.
Vianello
1914
175.
Vidal
176.
Villa
1900
177.
Villella
178.
Viola
1914
179.
Vita
1900
180.
Vitiello
1914
181.
Zacaria
1914
182.
Zanetta
1900